Banner cuiaba
? ºC Cuiabá - MT

21 de junho de 2018 - 14:51

Mundo

01/06/2018 11:52 www.youtube.com

Rajoy é destituído do cargo de chefe do governo da Espanha

A Câmara dos Deputados da Espanha aprovou nesta sexta-feira (1º) a moção de censura contra o governo de Mariano Rajoy, do Partido Popular, e o líder socialista, Pedro Sánchez, tornou o novo chefe de governo espanhol. Após informado formalmente da decisão da Câmara, o rei Felipe VI nomeou Sánchez para o cargo.

A moção de censura recebeu 180 votos a favor, 169 contra e apenas uma abstenção. Abalado por casos de corrupção do seu partido, Mariano Rajoy reconheceu mesmo antes da votação que seria derrotado.

“Podemos presumir que a moção de censura seguirá adiante. Em consequência, Sánchez será o novo chefe de governo. Serei o primeiro a felicitá-lo”, declarou. "Foi uma honra ser o chefe de governo e deixar uma Espanha melhor do que encontrei. Sorte a todos vocês pelo bem da Espanha", afirmou. 

Olíder socialista, de 46 anos, contou com o apoio dos grupos independentistas e nacionalistas do País Basco e da Catalunha, além de Unidos Podemos, coalizão de esquerda. Após a votação, Rajoy apertou a mão do socialista e saiu sem fazer comentários à imprensa.

"A Democracia na Espanha abre uma nova página. Uma etapa para recuperar a dignidade das instituições. De responsabilidade, diálogo e consenso, é o momento de trabalhar pela igualdade, construir um país que não deixa ninguém no caminho", afirmou no Twitter. 

View image on TwitterDesgaste

Rajoy é um veterano de 63 anos, que estava havia 11 anos no poder. Nesta época, o Partido Popular ganhou as eleições e tirou o poder das mãos do Partido Socialista, que estava no poder com José Luis Rodríguez Zapatero. 

Mariano Rajoy, deixa o parlamento após uma moção de censura, que o destituiu do cargo de primeiro-ministro, no parlamento espanhol em Madri, nesta sexta-feira, (01) (Foto: Francisco Seco/AP Photo)

Mariano Rajoy, deixa o parlamento após uma moção de censura, que o destituiu do cargo de primeiro-ministro, no parlamento espanhol em Madri, nesta sexta-feira, (01) (Foto: Francisco Seco/AP Photo)

O conservador ocupou vários cargos na política espanhola. Recentemente, sobreviveu à pior crise política em quatro décadas - o desafio separatista catalão. Porém, vinha pressionado pelos escândalos de corrupção envolvendo o seu partido, embora não tenha sido condenado diretamente.

O principal processo foi o chamado caso Gurtel, conhecido como a Lava-Jato espanhola, que desde 2009 investigava um esquema de caixa dois dentro do Partido Popular. Na semana passada, a Audiência Nacional, a mais alta corte da Justiça espanhola, encerrou a primeira fase do caso, condenando a sigla por corrupção ativa a pagar uma multa de € 250 milhões, de acordo com a Rádio França Internacional (RFI). 

A decisão da Câmara desta sexta surpreende, porque até semana passada Rajoy tinha apoio da maioria. Porém, aos poucos, os apoiadores de Rajoy foram ficando isolados e também constrangidos por sustentar o governo de um partido que foi formalmente acusado de corrupção pela Justiça.

Na tarde de quinta (31), foi confirmado que a maioria dos deputados da Câmara Baixa - 180 de um total de 350 pertencentes a oito forças políticas - apoiavam a moção de censura, apresentada por Pedro Sánchez. 

Desafio socialista

Sánchez já reconheceu que terá dificuldades em sua ação de governo, segundo a France Presse. Mas, com um tom otimista, reiterou o "compromisso com a Europa" e prometeu "estabilizar socialmente este país", priorizando políticas a favor do meio ambiente e de igualdade entre homens e mulheres.

 
Pedro Sánchez, líder socialista da oposição, ganhou a votação para substituir Mariano Rajoy como primeiro-ministro, na primeira derrubada de um líder espanhol ao parlamento em quatro décadas de democracia (Foto: Francisco Seco/AP Photo)

Pedro Sánchez, líder socialista da oposição, ganhou a votação para substituir Mariano Rajoy como primeiro-ministro, na primeira derrubada de um líder espanhol ao parlamento em quatro décadas de democracia (Foto: Francisco Seco/AP Photo)

Também reiterou a oferta de diálogo ao governo separatista da Catalunha, que assume oficialmente nesta sexta-feira. O gesto permite prever a retirada da tutela imposta à região desde outubro, em consequência da tentativa frustrada de secessão.

"Este governo quer que a Catalunha esteja na Espanha e escutará a Catalunha", declarou o líder socialista.   

Oposição espanhola garante ter conseguido votos para derrubar Mariano Rajoy

Oposição espanhola garante ter conseguido votos para derrubar Mariano Rajoy


Escola ailtonParte 3Parte 2
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo